.:: Mascaro Nascimento Advogados ::.
Notícias

Boletins

Boletins
Atuação
Boletins
Conteúdo Jurídico
Endereços
Boletim 198
Súmula nº 402 do TST
Súmula nº 402 do TST
 
AÇÃO RESCISÓRIA. PROVA NOVA. DISSÍDIO COLETIVO. SENTENÇA NORMATIVA (nova redação em decorrência do CPC de 2015) -  Res.  217/2017 - DEJT  divulgado em 20, 24 e 25.04.2017
 
I – Sob a vigência do CPC de 2015 (art. 966, inciso VII), para efeito de ação rescisória, considera-se prova nova a cronologicamente velha, já existente ao tempo do trânsito em julgado da decisão rescindenda, mas ignorada pelo interessado ou de impossível utilização, à época, no processo.
II – Não é prova nova apta a viabilizar a desconstituição de julgado:
a) sentença normativa proferida ou transitada em julgado posteriormente à sentença rescindenda; b) sentença normativa preexistente à sentença rescindenda, mas não exibida no processo principal, em virtude de negligência da parte, quando podia e deveria louvar-se de documento já existente e não ignorado quando emitida a decisão rescindenda. (ex-OJ nº 20 da SBDI-2 - inserida em 20.09.2000).
 
A nova redação da Súmula buscou adaptá-la ao texto do atual Código de Processo Civil. Antes da alteração, a Súmula se referia ao documento novo capaz de fundamentar ação rescisória. O código atual, no entanto, ao elencar as hipóteses que podem ensejar a ação rescisória não prevê mais documento novo, mas sim prova nova.
 
Assim, a súmula foi adaptada e passou a definir o que é prova nova. Observa-se que, com essa previsão do Código de Processo Civil, autoriza-se a utilização de qualquer prova nova, tal como uma testemunha, e não somente a prova documental, para fundamentar a ação rescisória.
 
São Paulo: Tel: +55 11 2175-9000 - Fax: +55 11 3256-7401
© Mascaro Nascimento Advogados 2010 Todos os direitos reservados
Twitter Facebook LikedIn
Desenvolvido por: Original Design